[segunda-feira, setembro 12, 2005]


Lá Vem a Nau Catrineta
que tem muito que contar...

De rosa se fez zarpar
p'ra uma nova demanda
é D. José quem comanda
esta Nau em alto-mar
Dessa aventura sem par
de loucos navegadores
ouvi agora senhores
uma história de pasmar


Havendo Setembro entrado
neste Ano Santo da Graça
cheirando ainda a fumaça
de tanto lenho queimado
repetindo o triste fado
da lusa alma em quebranto
eis que outra história de espanto
deixa tudo alvoroçado

Há muito se suspeitava
-ou melhor: Era evidente-
aos olhos de toda a gente
como esta coisa acabava
Cavalo que prova a fava
já não quer palha ou ração
-diz o povo e com razão-
era só o que faltava!

Devem ter adivinhado
ao que me estou a referir
e devem estar a sorrir
tal como o Zecatelhado
Não podia estar errado
quando há tempos afirmei
que quem viria a ser Rei
era o velhinho anafado

D. Aníbal esperançado
em poder herdar a coroa
deve ter ficado "em broa"
e pode esperar sentado
este D. Mário é danado
o cota é "p'rá frentex"
dos dinossauros é Rex
de todos o mais malvado

Vou parar a ladaínha
que já vai longo o entroito
vou já largar o "biscoito"
e dar palavra à maltinha
que no convés à tardinha
discutia com paixão
o caso da sucessão
de D. Jorge, "O Cenourinha"

"Esse gajo tá velhadas
que vá mas é p'ró asilo
faz-me lembrar o Camilo
e aquelas porno-chachadas
As pernas já estão pesadas
e a pança roça as virilhas
o cinto rasga as presilhas
quando as banhas são prensadas"

"Eh,eh,eh!...- ria o parceiro
do que largara a tirada-
...Olh'essa está bem esgalhada
e tens razão, companheiro
Este velho é um gaiteiro
pior que a'legre viúva
faça sol ou faça chuva
vai a todas bem lampeiro!"

"E o pobre do poeta?
qual Kalimero chorão
sentindo fundo a traição
do seu amigo da treta
sem por um ar de "vendetta"
saiu de rabito alçado
furibundo, desolado
com a alma na sarjeta !"

"Acho bué de indecente
o que fizeram ao pobre
um homenzinho tão nobre
e querido por tanta gente
Mas quem é que não se sente
experimentando a punhalada
cobardemente cravada
«made in Brutus», bem de frente?"

"Pois cá o "je" sente pena
e jura: Está solidário
com o pobre poeta otário
enredado nesta cena
Aposto uma milena
que citou de dedo em riste
o ...e alegre se fez triste...
que escreveu num tal poema!"

"Eu então já decidi
irei votar em D. Mário
é velho como o fado Hilário
mas tem uma coisa em si
que nos outros que já vi
ir p'ráí papagueando
não conseguem nem comprando
dar-me esse prazer a mim!"

"Essa agora, meu maroto
desembucha lá então
e diz-nos qual a razão
que conquistou o teu voto
O que é que trazes no goto
sabendo que és brincalhão
calculamos de antemão
ir sair traque ou arrôto"

"P'ra ele há sempre amanhã
mesmo aos cem anos de idade
acreditem que é verdade
e não uma ideia vã
Saibam Cavaco e Louçã
que o fixe do Mário Alberto
aos noventa é mais que certo
querer o lugar do Annan!"


por Zecatelhado * 12:10


*******************************