[sexta-feira, agosto 05, 2005]

* Lá Vem a Nau Catrineta (51)

Lá Vem a Nau Catrineta
que tem muito que contar
com tricórnio de côr preta
D. José a comandar
D. Costa trata de ver
se corre tudo a preceito
D. Diogo vai escolher
os aliados de peito
D. Cunha juntou-se ao Pinho
dois em um, está bom de ver
p'ra contar o dinheirinho
que o baú vai receber
D. Luís limpa os canhões
D. Correia é enfermeiro
a Lurdinhas dá lições
a tudo que é marinheiro
D. Jaime é o despenseiro
D. Gago lê as estrelas
D Lino faz de pedreiro
D. Correia limpa as velas
D. Vieira é o tenente
mais querido da marinhagem
é ele que paga à gente
em cada mês de viagem
D. Pedro de pé à ré
transmite pr'à populaça
aquilo que D. José
ordena pois que se faça
D. Augusto é o papagaio
escolhido p'lo Capitão
D. Alberto é o lacaio
encarregue da prisão
A Dª Isabel de Lima
tem tarefa desgastante
escada abaixo, escada acima
que a cultura é importante
P'ra compôr o ramalhete
das flores do Capitão
só faltava o mandarete
quem é ele?...D. Lacão
É esta a tropa fandanga
que promete à Catrineta
que o discurso da tanga
já foi posto na gaveta
Com estes novos doutores
vai ser um sempre a aviar
ouvi agora senhores
uma história de pasmar


Agosto estava um braseiro
ia a Nau a meio-gás
sentadinho lá atrás
junto ao varandim da ré
dormitava D. José
esperando por um ventinho
p'ra refrescar o focinho
mas de vento...nem o cheiro!

A canícula ia brava
a Nau estava sequiosa
desde o despontar da Rosa
nem uma gota caíra
seca assim nunca se vira
já se falava em ração
calculem vocês então
quanta angústia ali morava

"Vigia, espreita outra vez
antes que me afogue em mágoa
não vês nuvens prenhes de água
nalgum ponto do horizonte?..."
"P'ra onde quer que eu aponte
só vejo azul, Capitão
nem com o Porto campeão
vi tanto azul de uma vez!"

"Meu santinho padroeiro
que o Céu tenha piedade
vou encarar a verdade
vamos morrer de secura
é que se esta merda dura
pelo menos mais um mês
é chegada a nossa vez
vamos todos prá "galheiro"!

Cheiro tão mal como tu
um fedor acre e picante
tenho a pele qual elefante
e mais sal que uma sardinha
ao menos uma chuvinha
tipo "mijinha de cão"
sempre molhava o sabão
e a malta lavava o cú!"

"Sei que vou dizer asneiras
pois sou burro e mal sei ler
homem do povo, está a ver?
e tenho pouca instrução
faz-me muita confusão
ver tanto douto afirmar
que a água está a'cabar
nas barragens e albufeiras!..."

"Que raio?!...o quê?!...repete!
que estás p'ráí a dizer?!..."
"Que não consigo entender
razão p'ra tanto alarido
nem porque andais constrangido
por não lavar o traseiro
só se faltar o dinheiro
p'rá compra do sabonete!..."

"Tadinho, pirou de vez!
-Dá baixa à enfermaria!-
é isso: O sol do meio-dia
já começa a fazer mossa
a coisa já está mais grossa
que aquilo que calculei!..."
"Calma Senhor, que ainda sei
distiguir a mú da rêz!

Eu só queria perguntar
para poder entender
porque está tudo a gemer
se daqui estou a'vistar
gente na calma a regar
campos de golfe sem fim
vasos, flores e jardim
cagando-se p'ró poupar!

E os campinhos da bola
regados o dia inteiro?
e os nababos com dinheiro
enchendo a sua piscina?
então se isto desatina
com a tal dita campanha
a mim cheira-me a patranha
essa lamúria parola!

Agarrai no sabonete
no shampô e na esponginha
e enchei a banheirinha
da água q'uinda restar
e trate lá de lavar
o cuzinho e os tomates
parando com os disparates
e arrumando a cassete!"

"Ah,ah,ah!...-riu um marmelo
que se juntara a ouvir-
ò Capitão, podeis ir
já lhe enchemos a banheira
como a puta da torneira
estava seca como a palha
vai daí, esta maralha
encheu-a de Água Castelo!


por Zecatelhado * 17:54


*******************************