[terça-feira, julho 26, 2005]

* Babel


-Nimrod estava entediado. Já não suportava mais as danças, a música, as pantominices, os lautos banquetes noite-fora, os bacanais desenfreados, estava farto da sua mulher - que era Semiramis (as minhas desculpas à Joana, pela qual nutro um grande respeito, eu que sou um leitor fiel do seu blogue)a sua mãe com a qual casara, etc, etc, etc....
Nimrod tinha "tudo", e ter "tudo" é o pior que pode acontecer na vida de um simples mortal.
Nimrod pensou, pensou, pensou... e a ideia estapafúrdia que viria a lixar a humanidade através dos séculos, afluiu à sua cabeçorra real:
" Vou construir a maior estrutura alguma vez pensada pelo homem: Uma torre tão alta, tão alta, tão alta que... do seu cimo o céu fique somente ao alcance de uma flecha do meu arco!"
Meu dito, meu feito, lançou mãos à obra.

*****


Yavé discutia com as suas mais perfeitas criações, o problema criado com o "anjo caído" - Lúcifer, o portador da Luz- que havia traído a vontade do seu criador ao dar ao homem e à mulher o dom do "livre-arbítrio", num golpe sujo e traiçoeiro da forma por todos nós conhecida, sendo que isso levou à eterna perdição de Lúcifer - até aí uma das mais belas criaturas celestiais- e igualmente à dos seus partidários, que foram lançados no abismo ficando a "habitar" um espaço que medeava entre o Céu e a Terra.

*****


O capataz-mór de Nimrod entrou na tenda do soberano e anunciou:
- Senhor; podemos fazer, se o desejares e autorizares, a tradicional festa do pessoal das obras quando se atinge o topo da construção, e que se chama "Festa do Pau de Fileira"!
- Capataz; está então terminada a obra?
- Sim, meu Senhor, está terminada!
- Então façamos a tal festa!... mas já agora explica lá: que tipo de festa é essa?
- Ora, Majestade!... entre os labregos dos trolhas e dos serventes, que mais poderia ser senão uma bebedeira sideral e umas cantigas "pimba" à mistura?
- Ai é isso?!... eh,eh,eh!... pois claro, dizes bem, que mais poderia ser vindo dessa escumalha? Faça-se lá a festa que eles até merecem. Amanhã pela fresquinha subirei à torre com o meu arco, depois de lhes ter passado a "tremelga", e o mundo verá como eu, Nimrod, vou atingir o Céu!

*****


Miguel, o Arcanjo mais perfeito de Yavé, exclamou:
- Senhor; eu bem te avisei que o Arcanjo da Luz ia fazer porcaria!... não me deste ouvidos, e depois deu no que deu!
- Pára de me atormentar, Miguel! O que está feito, feito está e não há volta a dar-lhe. Tenho vontade de destruir o homem, Lúcifer e os seus seguidores: -Cont+Alt+Del/Reset C:- mas isso seria dar razão ao maldito e eu detesto perder apostas!

*****


Nimrod colocou a flecha na corda do arco, inchado e orgulhoso como um pavão real. Virando-se para a multidão que se amontoava torre-abaixo até ao sopé desta, exclamou:
- Povo meu; Ireis assistir ao maior momento de glória de toda a humanidade até aos dias de hoje; O momento em que eu, Nimrod, vosso rei e senhor me tornarei num Deus, pois irei atingir o Céu com a minha seta!
- Grande! Grande é Nimrod! O seu poder é de um Deus, Salvé! -gritava a multidão em histeria.
Nimrod esticou o arco e disparou a flecha.

*****



continua amanhã à mesma hora...


por Zecatelhado * 01:03


*******************************