[quarta-feira, julho 27, 2005]

* Babel ( cont... )

...
- Ora bem; então que vamos nós fazer ao homenzinho que quer ser um Deus? A torre está acabada e amanhã pela fresquinha vai disparar a seta. Miguel?...
- Sim, Senhor Yavé!
-Tens alguma ideia brilhante em mente, como é teu hábito?
- Por acaso...tenho, Senhor Yavé!
- Então fala! A mim a única coisa que me dá vontade é reduzir esse maluco a pó, JÁ!
- Calma Senhor! Com o devido respeito, seria pior a emenda que o soneto. Reduzido este a pó logo outro se levantaria, e assim sucessivamente até ao último homem. A teimosia e a persistência no erro, aliadas à ambição desmedida sem olhar a quem nem a nada, são uma das faces mais negras do "livre-arbítrio", essa é que é essa!...
- E então?!...
- Então... o plano é o seguinte:

*****


Assim que a flecha de Nimrod passou as nuvens baixas que estavam ao seu alcance, Yavé fez estalar no Céu um raio tão poderoso e luminoso que, ao atingir a torre esta se desmoronou completamente até à base. Teve Yavé no entanto o cuidado de não ferir Nimrod, nem nenhum dos trolhas e igualmente a massa humana presente.
Nimrod, meio atarantado com o que acabara de acontecer, levantou-se, sacudiu o pó das suas vestes reais, colocou a coroa na cabeça e exclamou:
- Pariatipu magriolu cúnú?!
- ???!!!
-Margagajeli tetrici mirodigi?!!!
- Mas que dizeis vós meu Senhor?! (perguntou o trolha mais próximo, que ouvindo aquilo pensou imediatamente que o seu rei endoidecera)
- Mas que estou eu para aqui a dizer?!!! ( pensou Nimrod)
- Tratari alcabá dififi!!! ( respondeu outro)
- Majukilibá kekeguá saravá!!! ( disse outro)
Perceberam então todos na hora o que tinha acontecido; de repente, devido a qualquer efeito desconhecido, tinham começado a falar línguas completamente diferentes e ninguém entendia ninguém.

*****


Yavé ria como um perdido. Virando-se para Miguel, disse:
- Muito bem esgalhado este plano, sim senhor! Ah,ah,ah,ah! a cara daqueles tontinhos a pensar que o parceiro do lado estava doido, ah.ah.ah.ah! E a cara deles a olharem para a torre de BABEL ( passar-se-á a chamar assim na história porque Babel significa muitas línguas ) feitinha em cacos? eh,eh,eh,eh!
- Agora, disse Miguel, irá cada um para seu canto no planeta e nunca mais se lembrarão de fazer torres que tenham o céu ao alcance de uma flecha!
- Uhmmm!!!... bem... aí é que tu te enganas!
- Não me digas que vão repetir a história outra vez! Não quero acreditar!
- Não tenhas a menor dúvida! Baralhar as línguas deles só resolveu momentâneamente o problema. Esta coisa do "livre-arbítrio" não vai ser nenhuma pêra-doce, isso te garanto. Quanto ao construir torres... vai ser um fartote pegado!
- E tu vais permitor que tudo aconteça de novo? Não as destruirás como fizeste com esta?
- Não vai ser necessário. Os descendentes directos de Nimrod vão-se encarregar de o fazer!
- Porquê? Por inveja?
- Não! Nesse tempo já ninguém se lembrará da torre de Babel!
- Então porquê?
- Tão só porque o dom do "livre-arbítrio" vai provocar na raça humana o mais terrível de todos os conflitos!
- Pode saber-se qual?
- O não conseguir distinguir a verdade da mentira, a realidade do embuste, o bem do mal. O homem confundirá tudo. Uma pequena elite que se julgará serem pequenos Deuses, tal como Nimrod pensava, será hábil na erte do engano e porá essa habilidade mestra em acção, deixando a humanidade à beira do caos absoluto pensando estar a conseguir a ordem.
O maldito estará bem perto de vencer a aposta!
- Como podes permitir isso?
- Tenho que permitir; Apostei e honrarei a minha aposta sem recorrer a batotas de qualquer espécie, pois se viciasse o jogo estaria a fazer exactamente o que o maldito fez, valha-me...Eu!!!
- Sinceramente, não estou a ver como vais descalçar a bota!
- Acredita que vou descalçar!
- Se tu o dizes... eu não posso duvidar. Estou é curioso para saber COMO!!!

Yavé não respondeu. Virou costas e recolheu aos seus aposentos. Deitou-se de barriga para cima, colocou as palmas das mãos sobre a cabeça e descansou do dia agitado que tivera.
- Miguel tem alguma rezão. Esta aposta está a ir longe demais. Devia ter destruído Lúcifer, os seus seguidores, e por atacado também Adão e Eva. Não o fiz porque adoro jogos e pelo-me por apostas, mas que querem? Até eu que sou Deus tenho direito às minhas fraquezas!
Sorrindo fechou os olhos, embora não adormecesse porque havia que cumprir o que estava escrito: DEUS NÃO DORME!


por Zecatelhado * 01:30


*******************************