[segunda-feira, junho 13, 2005]


Neste país de carneiros
seguimos o nosso fado
somos bichinhos ordeiros
rebanho bem comportado

Se houver algum assunto
de resposta complicada
claro, nada pergunto
e sigo com a carneirada

Se a boca abrisse era certo
que teria o fim à vista
armava-me em bicho esperto
chamavam-me terrorista

Era goela cortada
por isso é melhor calar
disfarçado na molhada
continuando a pastar


por Zecatelhado * 23:16


*******************************

Comments:
Chega-lhes amigo. Toda a tareia é insuficiente. Agora noto, vais estar
muito participativo nos próximos repastos blogosféricos. Com um abraço do Raul
 
Ó Raúl, eu já pareço o Figueiredo, eh,eh,eh! Vou a Todas!

Outro abração para ti
 
lololol. Irónico como sempre:) beijos
 
Pois... O meu "problema" é que tenho alergia a carneiros...
Mas sei o que é "a gente" calar algumas opiniões, porque tem mesmo de ser assim, por questõesw de sobrevivência... Também por isso não compreendo quem assaca culpas aos que são obrigados a submeter-se "às regras" que lhes são impostas, sob a pior das chantagens! Por isso eu acho que muitas coisas têm de passar a ser decididas por voto directo e tem de se valorar a abstençaõ, para que as pessoas não tenham que se sujeitar a represálias, para manifestarem e verem respeitadas as suas opiniões.
No meio de tudo isto: Vivam os blogues!
Enquanto conseguirem ser um espaço de liberdade e democracia...
 
simplesmente diz tudo. Boa!
 
Um belo poema, apesar de gostar mais de leões do que carneiros...

E, agora com o S.João há porta, assadinho no forno, com batatinhas, é uma delícia.

Acredita em mim... ;)
 
convem andar na manada...
 
O que eu passei para aqui chegar! Depois de andar sem tempo para respirar, apanhando ar rarefeito, com unhas rentes que a vida é difícil. Mas isto há-de voltar à normalidade. Para visitar os amigos, deixar-lhes palavras vazias, escrever disparates. Aquele abraço.
 
Enviar um comentário (8) comments